25 de mai de 2013

Um adolescente de 17 anos é o mais novo milionário do mundo

O adolescente ganhou uma fortuna 

de 30 milhões de dólares com uma invenção


Enquanto estudava para uma prova, em 2008, o britânico Nick  D´Aloisio, então com 12 anos, imaginou que sua vida poderia ser bem mais fácil se, no lugar de ler um capítulo do livro de História, pudesse automaticamente criar um resumo dos dados.

Ele aprendeu então a programar e criou um algoritmo que serviu de base para o Summly, um aplicativo para iOS, comprado no mês passado pelo Yahoo! por um valor estimado em 30 milhões de dólares.

Usando a mesma tecnologia de inteligência artificial da assistente Siri, da Apple, o Summly é capaz de entender textos e criar um resumo organizado pela importância das informações.

Se uma notícia com 600 palavras fosse filtrada pelo app, ela poderia ser reduzida a pouco mais de 60 caracteres.

Disponível desde dezembro de 2011, o app foi usado para criar resumos de 90 milhões de textos e ficou entre os mais baixados da App Store.
O feito de D´Aloisio atraiu a atenção de investidores.

Antes da venda para o Yahoo!, a startup do estudante de Wimbledon, hoje com 17 anos, contou com aportes do magnata chinês Li Ka-Shing e do criador da Zynga, Mark Pincus.

Celebridades como Yoko Ono e o comediante Stephen Fry estão entre os
apoiadores do projeto.

“Quando criei o Summly, aos 15 anos, nunca imaginei que estaria nessa posição tão de repente”, escreveu D´Aloisio na página do Summly, cujo código foi escrito nas férias de verão do garoto.

Após o anúncio da compra, o aplicativo foi retirado do ar.

O Yahoo! afirmou que sua tecnologia será reaproveitada em outros produtos.

Agora D´Aloisio precisa terminar os estudos. Seu plano é concluir o ensino médio e, depois, cursar filosofia na universidade.

O mais novo milionário da tecnologia diz não ter planos de gastar o dinheiro com nada além do que uma nova mochila.

Parte do dinheiro poderá ir para um fundo de investimentos para financiar novos empreendimentos.

Assista ao vídeo:


Por Redação Jornal DF Brasil / Com informações da Notícia Boa e Info.